top of page

CULTO DA FAMÍLIA

A história de Jó

FB_IMG_1553436449108.jpg

A história de Jó se resume em duas discussões entre Deus e Satanás, a aflição de Jó pelo Adversário, uma série de debates nos quais Jó e alguns amigos procuram entender o seu sofrimento, e as respostas do próprio Senhor .

Jó viveu na época dos patriarcas, provavelmente entre Noé e Abraão, em termos de cronologia. Não sabemos nada sobre a sua linhagem, mas as Escrituras relatam que foi um homem muito fiel a Deus. Jó era casado, com dez filhos, e era o homem mais rico da região onde morava.

Mas Satanás, o acusador dos servos de Deus, alegou que a fé de Jó era superficial e interesseira. Para provar que o diabo estava errado, Deus permitiu que o Adversário atormentasse Jó. Ele tirou a riqueza, os filhos e a saúde deste homem íntegro, mas Jó não se virou contra Deus.

Amigos de Jó tentaram confortar o sofredor, mas acabaram aumentando a sua aflição. No seu entendimento limitado da justiça e da sabedoria do Soberano Deus, eles acusaram Jó, falsamente, de ser um terrível pecador que recebia castigo divino merecido. Jó, sendo fiel, não podia mentir e admitir pecados que não havia cometido. Ele discutiu com os amigos e negou as suas acusações pesadas. Mas ele, também, não compreendia os motivos do seu sofrimento (estes homens não sabiam das conversas entre Deus e Satanás). Ele queria perguntar para Deus e se defender diante do Criador, mas não tinha acesso ao Senhor. Depois de vários debates com seus amigos, Jó ouviu as palavras de Deus no final do livro. Deus ainda não explicou tudo para ele, mas relembrou Jó e seus amigos que ele é o Soberano e Onisciente Deus, Criador e Sustentador do Universo.

Ministração de 24/03/2019

Preletor: Felipe

A Perspectiva de Jó: Este homem não se achou perfeito, mas ele se considerou justo. Ele não reconhecia nenhum pecado que traria sobre ele a ira de Deus. Até sentiu a confiança para falar para Deus: “Quantas culpas e pecados tenho eu? Notifica-me a minha transgressão e o meu pecado” (13:23). É difícil alguém se apresentar com tanta confiança diante do Santo Deus. Hoje, nós podemos ter confiança diante do trono de Deus somente por causa da intervenção de Jesus, o nosso Sumo Sacerdote e sacrifício perfeito e eficaz (Hebreus 4:14-16; 10:19-22).

A Perspectiva dos Amigos de Jó: Os amigos de Jó, como muitos falsos mestres hoje, acreditavam que a circunstância na vida sempre refletia a sua posição diante de Deus – pessoas más sofrem, e pessoas que servem a Deus param de sofrer. Elifaz, um dos amigos, afirmou: “Todos os dias o perverso é atormentado” (15:20). Devido a esta atitude, eles concluíram que Jó estava sofrendo por causa de pecados na sua vida. Acusaram Jó de crimes terríveis (22:5-11) e o criticaram por não confessar pecados (que ele não tinha cometido!). Bildade falou que, se Jó se arrependesse, Deus “sem demora” restauraria a sua prosperidade (8:5-6).

A Perspectiva de Satanás: O diabo não conseguia imaginar um homem fiel somente porque Deus merece honra e adoração. Ele atribuiu aos homens, inclusive a Jó, motivos egoístas. O homem só serve a Deus para receber alguma coisa em troca. Assim, ele pensou, se tirar as bênçãos da vida da pessoa (Jó, neste caso), ela rejeitaria o próprio Senhor. A mulher de Jó caiu no mesmo pensamento errado (2:9), mas Jó repreendeu a tolice dela e manteve sua integridade (2:10). É triste observar quantos pastores hoje pensam como Satanás. Ao invés de engrandecer o nome de Deus porque ele é Deus, pregam doutrinas carnais e incentivam as pessoas a servir a Deus por motivos interesseiros. Distorcem textos bíblicos para defender suas mentiras de prosperidade e saúde nesta vida, e até se exaltam diante de Deus, exigindo que ele faça o que o homem quer! Se você serve a Deus só porque recebe ou espera receber bênçãos dele, o triste fato é que você não serve a Deus. Deus merece adoração porque ele é o Criador, Redentor e Senhor de todos nós. Devemos adorar a Deus porque ele é Deus!

A Perspectiva de Deus: Foi Deus que disse: “Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal” (1:8). Deus sabia que a fé de Jó não se baseava nas coisas que ele tinha. Jó, como homem, sabia muito bem quem é Deus. Mesmo depois de Jó sofrer tanto e mostrar a sua confusão sobre o papel de Deus, ele continuou respeitando o Senhor. Ele pediu perdão por ter questionado o Soberano (42:1-6). Deus aceitou o humilde serviço de Jó, e mandou que os amigos dele pedissem a intercessão deste homem justo para procurarem perdão por suas palavras erradas (42:7-9).

Describe your event here and generate buzz. Where's it happening, and when does it start?

bottom of page